REPERTÓRIO

Baião de Lacan

Parceria de Guinga com o letrista Aldir Blanc, registrada em disco por Leila Pinheiro em seu elogiado álbum “Catavento e girassol” de 1996, exclusivamente com canções da parceria de Aldir Blanc com Guinga. Em nossas apresentações tocamos apenas o instrumental.

A terra em transe franze
Racha pela beira
Feito cabaço de freira
Solta e lá vem um!

Mas o Brasil ainda batuca na ladeira:
Bafo, Congo, Exu, Taieira
Mais Cacique e Olodum…

Deus salve o budum!
Viva o murundum!
E é tuntum, e é tumtum!

Eu ouço muito elogio à barricada
Procuro as nossa por aqui
Não vejo nada
Só tomo arroto
E perdigoto no meu molho
Se tento ver mais longe
Tacam o dedo no meu olho
Quem fica na barreira
Pode até ficar roncolho

Um empresário quis
Que eu fosse a Massachutis
Oquêi, my boy! –
Cheguei pra rebentar e putz!
Voltei sem calça e um quis me seqüestrar…
Ao conferir o saldo
No vermelho fui parar
To com João Ubaldo:
Chega dessa Calcutá

– Eu to Amil por aí
Atleta do Juqueri
Um sócio a mais da Golden Cross
De carteirinha…
Tanto sofri nesse afã
Que um seguidor de Lacan
Diagnosticou stress
E me mandou pra roça descansar…

Eu fui pro Limoeiro
E encontrei o Paul Simon lá
Tentando se proclamá gerente do maufá…
Se os peão não chiá
O Boi Bumba vai virar vaca

Bebê

Música instrumental composta por Hermeto Pascoal, gravada em seu primeiro LP no Brasil, “A Música Livre de Hermeto Pascoal”, de 1976. É um baião que todo instrumentista brasileiro quer ou tem a honra de tocar. Um clássico.

Beira de estrada

Composta por Toinho Alves e Luciano Pimentel, foi lançada pelo Quinteto Violado no álbum “Berra boi” de 1973. Berra Boi é um brinquedo feito de madeira, corda de caroá e barro, que se vende em qualquer feira livre do nordeste. Produz um ruído grave, assemelhando-se ao mugido do boi. Berra Boi deu nome ao primeiro espetáculo do Quinteto Violado a incorporar recursos cênicos – prática constante a partir daí.

Beira de estrada, casa de porta e janela
Sem pintura, sem moldura
Só cerca, cano e c´as tela

Na vida eu já fiz tudo
Fui joão e fui José
Em umbuzeiro eu fui balaieiro
Empurrei um carrossé
Em umbuzeiro eu fui balaieiro
Empurrei um carrossé

Mas hoje mudou tudo
Comerciante eu sou
Vendo pitomba pros menino
Vendo pitomba pros doutô
Vendo pitomba pros menino
Vendo pitomba pros doutô

Cantiga do sapo

Composta por Jackson Do Pandeiro, o rei do ritmo o Brasil, em parceria com Buco Do Pandeiro em 1959.

É assim que o sapo canta na lagoa
Sua toada improvisada em dez pés.
Tião – Oi!
Fosse? – Fui!
Comprasse? – Comprei!
Pagasse? – Paguei!
Me diz quanto foi! – Foi 500 réis!

É tão gostoso morar lá na roça
Numa palhoça perto da beira do rio
Quando a chuva cai o sapo fica contente
Que até alegra a gente com seu desafio.

Casamento da raposa

Música instrumental composta por Gérson Filho, genial tocador de sanfona de 8 baixos. Originalmente lançada em seu álbum “O grande tocador – Vol. 20” de 1986, foi regravada diversas vezes: por Raimundo Fagner em seu CD “Caboclo sonhador” de 1994, sendo executada por Sivuca, Oswaldinho e Dominguinhos; por Nicolas Krassik, violinista francês radicado no Brasil desde 2001, em seu CD “Caçuá” de 2009 ; por Gilberto Gil em seu CD e DVD “Fé na festa ao vivo” de 2010.

Como dois animais

Composta por Alceu Valença e lançada em seu álbum “Cavalo de pau” de 1982, primeiro estouro de vendas da carreira de Alceu, que alcança a marca de 500 mil cópias em poucos meses, feito considerável para a época.

Uma moça bonita de olhar agateado
Deixou em pedaços o meu coração
Uma onça pintada e seu tiro certeiro
Deixou os meus nervos de aço no chão…

Foi mistério e segredo e muito mais
Foi divino brinquedo e muito mais
Se amar como dois animais…

Meu olhar vagabundo de cachorro vadio
Olhava a pintada e ela estava no cio
E era um cão vagabundo e uma onça pintada
Se amando na praça como os animais…

De cigarro no bico

Composta por Cecéu e gravada por Edson Duarte em seu álbum “O homem da perna de pau”, de 1980.

O porteiro vai cobrando de cigarro no bico
A moçada vai entrando de cigarro no bico
O sanfoneiro vai tocando de cigarro no bico
Enquanto o dono do salão vai entrar no tico-tico

Tico tico tico vai entrar no tico tico
Tico tico vai entrar no tico tico

Quem tem dinheiro se arruma
Quem não tem fica de fora
Levantou perdeu canto
Se atrasou perdeu a hora
Perdeu a hora vai ouvir galo cantar
Fica a noite sem dançar
Dá no pé e vai embora

Sem vergonheira

Composta por Antônio Carlos e Jocafi, dupla de cantores e compositores brasileiros nascidos na Bahia que começaram a carreira em 1969 no V Festival de Música Popular Brasileira e fizeram muito sucesso na década de 70. Foi regravada pelo grupo “Os Incríveis” em 1971.A versão que nos inspirou foi aquela regravada por Marinês em seu LP “Canção da fé” de 1972. Muitas outras composições da dupla Antônio Carlos e Jocafi foram regravadas em ritmo de forró, por exemplo “Chuculatêra” e “Cordel” pelo Rei do baião e “Forrobodó” em 1987 pela Banda do Forró Forrado.

Sem vergonheira no forró de seu Mané
Entre o povo convidado não achei uma mulher
Lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá láááá…
Lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá láááá…

Que desconjuro, batalhei a noite inteira
Procurando uma parceira, pra dançar o meu xaxado…
Xado, xaxado, xaxado-xado, xaxado, xaxado-xado, xaxado xado-xaxadú…

São Benedito, estou me desconhecendo
Vou sair daqui correndo, pra dançar xaxado lá…
Xado, xaxado, xaxado-xado, xaxado, xaxado-xado, xaxado xado-xaxadú…

Feira de mangaio

Feira de mangaio é a típica feira popular do nordeste onde se vende de tudo. Composta por Sivuca e sua esposa Glorinha Gadelha, “Feira de Mangaio” foi gravada inicialmente pelo próprio Sivuca, posteriormente incorporada ao repertório de Clara Nunes no LP “Esperança”, de 1979. Este foi um dos grandes sucessos da cantora. A música foi composta, quem diria, em Nova Iorque. E mais, para os puristas ficarem horrorizados, a letra da canção de Glorinha Gadelha foi finalizada num McDonald’s da Sétima Avenida. Quem narra a gênese de “Feira de Mangaio” é a própria Glorinha Gadelha: “Essa música começou a sair de dentro da minha alma no meio de uma aula de inglês. Aí dentro do metrô ela continuou na minha cabeça, foi crescendo. E quando cheguei no McDonald’s terminei”. À época o casal morava nos Estados Unidos. Depois, em casa, o mestre propôs uma palavrinha num único verso que a compositora considerava mal resolvido e arranjou a música. Acabou colhendo muitos dos louros do estrondoso sucesso, já que “Feira” ficou conhecida na sua voz. Glorinha não se considera cantora e sempre preferiu a pena aos palcos. Poucos sabem, mas ela tem composições interpretadas na voz de gente como Moraes Moreira, Hermeto Pascoal e Elba Ramalho. Além de Clara Nunes, Agepê e Amelinha também regravaram esta canção.

Fumo de rolo arreio e cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar

Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi passo-voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua
Onde o mangaieiro ia se animar
Tomar uma bicada com lambu assado
E olhar pra Maria do Joá

Cabresto de cavalo e rabichola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Farinha rapadura e graviola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar

Pavio de cadeeiro panela de barro
Menino vou me embora, tenho que voltar
Xaxar o meu roçado que nem boi de carro
Alpargata de arrasto não quer me levar

Porque tem um Sanfoneiro no canto da rua
Fazendo floreio pra gente dançar
Tem Zefa de purcina fazendo renda
E o ronco do fole sem parar

Eiii forró da mulestia..
Eitaa Sanfoneiro da gota serena…

Anúncios
Be the first to start a conversation

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: